SEO

Tudo o que você precisa saber sobre Sitemap XML

As páginas do seu site não aparecem nos resultados dos mecanismos de busca? Que tal aplicar as dicas deste texto e criar um sitemap incrível?

Por Nerdweb - Dia 11 de Março de 2021 às 00:03

Se você não sabe o que é ou não tem um sitemap, pode ser que páginas do seu site sejam inacessíveis ao Google. Por maiores que sejam seus esforços para criar conteúdo de qualidade, tudo será em vão se os mecanismos de busca não puderem encontrar o que você publicou e entregar para pessoas interessadas.

É justamente para isso que um sitemap serve. Neste artigo você encontrará informações importantíssimas para deixar seu site em ordem e para que seu conteúdo seja notado pelo Google e, principalmente, pelo seu consumidor.

O que é um Sitemap?

A tradução direta de sitemap é “mapa do site”. Em uma analogia simples, o mapa do site é como o mapa de uma casa (que no caso é seu site) e ele mostra todos os cômodos (páginas) para o consultor imobiliário.

O consultor (Google) então coloca a sua casa à venda em sua página de classificados (página de resultados de busca) e as pessoas que buscam por uma casa como a sua, podem entrar e ver o que há dentro.

Sem um mapa, o consultor pode até achar sua casa, mas não vai dar todas as informações sobre ela nos classificados. Ela tem banheiro? Quantos quartos têm na casa? O consultor não saberá dizer.

Traduzindo, o Google pode até achar seu site sem um sitemap cadastrado, mas é possível que muitas páginas importantes fiquem de fora. O mapa deve ser entregue ao Google através de um documento .XML. Ele também pode ser disponibilizado ao usuário do seu site em forma de um documento .HTML publicado diretamente no seu site.

Por que criar um Sitemap XML? Quais os benefícios?

Com a criação e cadastro do Sitemap XML, você ajuda os robôs do Google a encontrarem todos os cômodos da sua casa, e a andarem pelos corredores (links internos) sem se perder.

Quando você faz isso, seu site chega até a página de resultados do Google com informações muito mais claras e precisas.

Se o seu site for novo e tiver sido lançado a pouco tempo, o Google pode demorar para encontrá-lo por conta própria. Ao cadastrar um sitemap, você garante que seu site será listado muito mais rapidamente.

Existe também o fator SEO. Se seu site for organizado e possuir conteúdo de qualidade, um sitemap pode aumentar o número de páginas listadas como possíveis resultados de uma busca. Isso faz com que seu site ganhe relevância aos “olhos” do Google e sua posição em termos-chave para sua empresa melhore ainda mais.

Considere cadastrar um sitemap quando:

  • Seu site utilizar conteúdo dinâmico (que muda com frequência);
  • Se seu site tiver páginas que não possam ser encontradas facilmente pelo Googlebot durante o processo de rastreamento;
  • Se seu site for novo e houver poucos links para ele;
  • Se seu site possuir um grande arquivo com páginas de conteúdo que não estão bem vinculadas umas às outras ou simplesmente não estão vinculadas.

Quais são os principais tipos de sitemap?

Como dissemos lá em cima, existem alguns tipos diferentes de sitemap. Vamos falar sobre cada um deles.

1. Sitemap .TXT

Sitemap em formato de texto. É o mais simples e básico. Não contém informações importantes como a data de última modificação da URL. Para criar esse tipo de sitemap basta usar um editor de texto como o bloco de notas ou wordpad e salvar o arquivo no formato .txt.

2. Sitemap HTML

Quase não é mais usado atualmente. Era um arquivo que geralmente estava presente no rodapé da página e tinha como objetivo facilitar a navegação dos usuários. Ele funcionava como um índice de todas as páginas do site, mas a criação de barras de navegação e a linkagem correta entre as páginas fez esse tipo de sitemap perder espaço.

3. Sitemap .XML

O sitemap XML é um arquivo para as ferramentas de busca e contém informações que só são úteis para robôs de indexação. É o tipo mais utilizado e mais completo e pode conter informações como a frequência de atualização da página e a última vez em que ela foi modificada.

4. Sitemap Atom e RSS

Sites que têm conteúdo dinâmico, publicações frequentes ou muitas atualizações devem ter um sitemap para indicar para as ferramentas de busca quais são as páginas importantes. Uma forma de criar um sitemap para esse tipo de conteúdo é usar um feed RSS ou Atom - agregadores de notícia que juntam links para todos os conteúdos do seu site em um único arquivo. Esses sitemaps costumam conter apenas informações sobre as páginas mais recentes e são muito utilizados por portais de notícias e afins.

5. Sitemap para um site de imagens

Se o seu site é um portfólio de imagens, ilustrações ou fotografias, o ideal é que você use o formato específico de sitemap para imagens.O Google oferece algumas diretrizes específicas para esses casos. Um site convencional não precisa de um sitemap específico para imagens ilustrativas, mas um site que contém imagens como sua informação principal deve ter esse documento.

Como criar um sitemap?

Existem algumas ferramentas gratuitas que podem te ajudar a criar um sitemap. Ainda que em linhas gerais a utilização delas seja simples, caso você tenha alguma dúvida da implantação delas no seu site recorra a orientações de especialistas no assunto.

  • Google XML Sitemaps: plugin gratuito para WordPress que gera o sitemap sozinho.
  • Yoast SEO: plugin para WordPress voltado a otimizações de SEO, mas que também gera sitemaps.
  • XML-Sitemaps: ferramenta online que gera sitemaps em texto, HTML ou XML de forma simples e rápida. Basta colar a URL da home do seu site e clicar em “Start”.
  • GSiteCrawler: simula um robô rastreador e, com base na análise feita, cria um sitemap.

Quais são as boas práticas sobre Sitemap?

Algumas dicas extras podem auxiliá-lo a ter mais sucesso na hora de implementar um sitemap na sua página. Além dos passos que mencionamos acima, fique de olho nas seguintes dicas:

Divida seu sitemap e crie um index

O arquivo de sitemap XML do seu site não pode conter mais do que 50 mil URLs e nem ter mais de 10MB. Se seu site é muito grande e excede essa quantidade de páginas, o ideal é que você divida o seu sitemap em seções.

Inclua apenas URLs canônicas

Se uma página pode ser acessada por duas URLs diferentes, inclua somente a principal. Infelizmente, os mecanismos de busca entendem “seusite.com.br” e “www.seusite.com.br” como duas URLs diferentes e se você colocar todas as URLs, seu sitemap vai virar uma bagunça.

Não utilize caracteres não alfanuméricos

Uma boa prática na hora de criar URLs amigáveis é não incluir caracteres não alfanuméricos, ou seja, outros símbolos além das letras do alfabeto latino/romano. Se seu site já possuir caracteres diferentes, existem protocolos do sitemap.org que te ajudarão a realizar a adequação necessária.

Pronto! Você está apto para criar um sitemap sensacional e fazer com que seu site suba ao topo dos resultados de pesquisa!

FIQUE POR DENTRO!

Fique atualizado com as últimas noticias, dicas e novidades da Nerdweb.