SEO

O que é tráfego orgânico e como gerar acessos ao seu site?

Faz tempo que empresas e marcas sabem que não basta apenas ter presença no ambiente digital para serem encontradas por consumidores e consumidoras. É preciso estar bem posicionadas no Google.

Por tim - Dia 11 de Março de 2020 às 00:03

Em média, estima-se que os sites que aparecem em primeiro lugar em uma busca recebem mais cliques do que o segundo colocado. E a quantidade de visitas cai consideravelmente entre cada posição. Por isso, um bom ranqueamento é indispensável para ter presença online!

Basicamente, há dois caminhos para determinar o posicionamento no Google: o tráfego pago e o orgânico. Apesar de os termos serem bastante mencionados atualmente, ainda há dúvidas. E este texto vai explicar o porquê investir em tráfego orgânico é uma estratégia assertiva para um bom ranqueamento:

O que é tráfego orgânico?

Todas as visitas que um site ou portal recebe, de forma espontânea, são consideradas tráfego orgânico. Ou seja, o investimento para o ranqueamento não foi feito em anúncios (como Google ADS ou mídia programática).

Esses acessos recebidos espontaneamente podem ser fonte de:

  • Tráfego direto: quando as pessoas acessam diretamente o endereço do site na barra do navegador; 
  • Tráfego referência: quando a pessoa clica em um link, presente em outro site, que redireciona para o seu;
  • Tráfego social: é aquele a partir das redes sociais.

Por meio de ferramentas de desempenho, como o Google Analytics, é possível saber exatamente qual a origem dos acessos.

E existem alguns pontos determinantes no bom posicionamento do site: boas práticas de SEO (Search Engine Optimization) — que são táticas e estratégias de otimização de sites para mecanismos de busca — e conteúdo de relevância. 

O ideal é apostar em geração de acessos espontâneos múltiplos, articulando as estratégias para uma presença online competitiva. Ou seja, vale criar conteúdo para conseguir acessos de todos os meios orgânicos.

A vantagem disso é a construção e consolidação da presença online. Em outras palavras, a mídia paga pode ser bem eficiente para resultados imediatos, mas o investimento em tráfego orgânico conquista um bom lugar nos primeiros resultados de busca. Com isso, a empresa não fica refém de pagar anúncios.

O custo também é consideravelmente menor, quando se trata de investimentos de dinheiro. Isso porque o ranqueamento não tem gasto direto, mas necessita de investimento de tempo e trabalho, logo que as estratégias e produção de conteúdo são determinantes.

Por que ele é essencial para sua estratégia online?

Todos os dias, são feitas milhares de buscas na internet — e a maioria delas é por meio do Google. Com diversos sites concorrentes, não é uma tarefa simples estar entre as melhores posições do buscador.

Porém, o esforço para estar na primeira página, e entre os primeiros resultados, é determinante. Estima-se que, em média, o primeiro resultado do Google recebe 27% de cliques, enquanto o segundo recebe apenas 10%. Além disso, cerca de 94% das pessoas não vão para a segunda página de buscas.

Assim, fica mais fácil compreender a importância de ter um bom ranqueamento. 

Além disso, quem chega organicamente em um site representa um(a) potencial cliente ou consumidor(a). Ou seja, esse público tem alta potencialidade de conversão, logo que há, ao menos, um interesse prévio no assunto ou produto da empresa. 

Em relação aos investimentos, eles geram resultados em médio e longo prazos, mas o conteúdo produzido não perde relevância. Assim, aquele artigo ou post feito há meses pode gerar acessos e converter em vendas por tempo indeterminado.

Tráfego pago x tráfego orgânico

Na disputa entre o tráfego pago X tráfego orgânico, pode não ser tão simples definir o melhor. Isso porque cada tática deve ser aplicada com objetivos específicos e, na maioria das vezes, são formas que se complementam.

Afinal, sempre apostar apenas em uma ou outra opção pode limitar o crescimento da marca. Por isso, se possível, vale trabalhar ambas as opções.

Porém, na hora de comparar as vantagens, alguns dados são importantes: cerca de 71% das buscas no Google resultam em cliques nos resultados da primeira página — por isso, estar nela é essencial. 

Fazer isso por meio de anúncios pagos pode ser bem mais custoso financeiramente. Além do investimento reduzido, as vantagens do tráfego orgânico incluem: 

  • Construção de autoridade da marca;
  • Conquista espaço de relevância no Google;
  • Investimento em clientes potenciais;
  • Continua gerando cliques mesmo que o conteúdo pare de ser atualizado;
  • Cria uma base de leads qualificada. 

Já o tráfego pago envolve benefícios como resultados rápidos, ainda que o investimento financeiro seja mais elevado em relação ao orgânico. Além disso, manter uma equipe focada em conteúdos inbound, conquistando relevância da marca, pode ser inviável para algumas empresas. 

Por isso, a opção de tráfego pago pode ser mais vantajosa para resultados imediatos, lançamentos de produtos e aproveitamento de tendências.

7 dicas para gerar tráfego orgânico

Investir no tráfego orgânico tem suas estratégias. Apesar de não haver um guia absoluto do que funciona, há ações que fazem toda a diferença para o crescimento de acessos espontâneos! Confira 6 dicas para gerar tráfego orgânico:

1. Conheça o público 

Uma das grandes vantagens do tráfego orgânico é trabalhar com clientes potenciais. Ou seja, aquelas pessoas que fazem buscas relacionadas, procuram informações ou demonstram interesse de consumo. 

Porém, para ter insights assertivos, é preciso dar atenção e conhecer o comportamento do público, adaptando o planejamento para resultados mais assertivos e focados. Com uma análise focada nesses dados, é possível produzir conteúdos poderosos e relevantes, convertendo muito mais leads.

2. Aposte no mobile 

Cada vez mais é indispensável pensar a internet por meio dos dispositivos móveis. O uso de celulares e tablets para acessar à internet tem crescido e dominado uma parcela considerável de fontes de acesso. 

Por isso, ter páginas adequadas e de carregamento rápido em dispositivos móveis é fundamental para a boa experiência do público. Além da boa experiência de navegação, isso é um critério para o Google avaliar as páginas e ranqueá-las.

3. Esteja nas redes sociais

Aliar plataformas é uma forma bem eficaz de conquistar espaço digital e fortalecer a marca.

Ter um perfil comercial no Instagram, Facebook e Twitter, por exemplo, usando as estratégias adequadas para cada plataforma, impulsiona o crescimento orgânico e constrói uma boa relação com o público — fator cada vez mais relevante para as pessoas.

Esse é um ponto bastante relevante para que as marcas sejam lembradas na hora de consumir ou escolher um produto!

4. Planeje com base nos critérios do Google 

Estratégias de SEO são aliadas de um crescimento orgânico adequado. Isso significa dar atenção às táticas que otimizam o ranqueamento. No entanto, engana-se quem pensa que há um manual pronto de SEO. 

É preciso trabalhar análises de comportamento e estar sempre atualizando-se em relação aos critérios do Google. Investir em crescimento orgânico é uma ação diária! 

Por isso, vale atualizar conteúdos com foco em otimização, planejar palavras-chave, melhorar aspectos de navegação e velocidade, produzir bons títulos e metas-descriptions, analisar a arquitetura de informações do site, entre outros.

5. Invista em diferentes formatos e plataformas 

O tráfego orgânico pode ser conquistado por diferentes fontes. Por isso, o ideal é conhecer as possibilidades, escolher as adequadas aos objetivos da empresa ou marca, fazer um bom planejamento e apostar na multiplicidade. 

Redes sociais digitais, e-mail marketing e links referência em outros portais podem impulsionar o crescimento de acessos. 

Além disso, os conteúdos podem ser bem aproveitados em diferentes formatos. Ou seja, investir na diversidade de formatos — como e-book, vídeos, texto para blog, podcast e infográficos — é uma boa medida.

6. Aposte em conteúdo 

Um bom levantamento de palavras-chave, e-mail marketing, melhoria na velocidade de carregamento são algumas boas medidas de otimização. Aliás, o Google valoriza bastante aspects técnicos na hora de ranquear os sites e portais. 

No entanto, é o conteúdo que mantém o acesso e fideliza o público. Por isso, não basta conquistar um clique, é preciso ter conteúdos poderosos para converter leads. Aposte em:

  • Criatividade;
  • Linguagem adequada ao público;
  • Informações claras e confiáveis;
  • CTA (Call To Action).

7. Analise os dados 

Usar ferramentas de análise é indispensável para acompanhar os resultados, manter ou ajustar as ações. 

Além disso, saber a hora de mudar de estratégia, ou mantê-la, é indispensável. Vale lembrar que o tráfego orgânico tem resultados em longo prazo, mas acompanhar os indicadores desde o início pode ser determinante para o sucesso de conversão.

__

Sua empresa está preparada para conquistar a primeira página do Google? Fale com a nossa equipe de especialistas em tráfego orgânico!

FIQUE POR DENTRO!

Fique atualizado com as últimas noticias, dicas e novidades da Nerdweb.